7 Dicas De Como Adestrar Cachorro Filhote

Como Adestrar Cachorro Filhote? Confira 7 Dicas

A chegada de um novo cãozinho em casa é um momento de muita alegria e, também, de muita adaptação. Um filhotinho tem muito o que aprender, e para que a rotina da sua casa e a relação de toda a família com o animal sejam o mais positivas possível, é necessário começar a educá-lo desde os primeiros dias.

Se você não tem ideia de como fazer isso, não se preocupe. Este artigo traz sete dicas de como adestrar cachorro filhote. Continue a leitura para aprender!

1. Prepare o enxoval canino

Essa dica não está relacionada diretamente ao adestramento, mas é importante que você se prepare para receber seu cãozinho em casa com os acessórios essenciais do enxoval canino, como potes de água, dispenser de alimentos ou brinquedos em que seja possível  colocar a ração, comedouros inteligentes, coleira e guia, caminha, tapete higiênico, ração de qualidade e brinquedos com texturas diferentes.

Esses itens são importantes tanto para o bem-estar do cachorrinho em seu novo lar quanto para o adestramento, já que muitos dos comandos ensinados estão relacionados com alimentação, eliminação e brincadeiras. 

2. Promova um ambiente seguro

Uma das suas obrigações como um tutor de animais responsável é garantir a segurança desse novo filhote. Assim como não se deve deixar uma criança sozinha e exposta a riscos, é preciso proporcionar ao bichinho um ambiente seguro e controlado. 

Certifique-se de que nada que esteja ao alcance do cachorrinho oferece riscos para ele: produtos químicos, objetos pesados que possam cair em cima dele ou pequenos o suficiente para que ele ingira, fiação elétrica e plantas tóxicas são alguns dos exemplos.

Além disso, o ideal é que o cão fique em um ambiente que ofereça mais estímulos positivos que negativos: se ele estiver em um cômodo em que “tudo é proibido”, como é que ele vai gastar sua energia? 

Se preferir, restrinja o acesso do bichinho a apenas alguns cômodos da casa enquanto ele ainda não tem muito repertório de adestramento. Se você não quer correr nenhum risco de uma escapada de xixi no tapete da sala, por exemplo, remova o tapete ou limite o acesso do animal a este local até que ele esteja treinado.

3. Estabeleça uma rotina

A rotina é muito positiva para o animal e o ideal é que ela seja estabelecida o mais cedo possível. Divida o dia em momentos para alimentação, brincadeiras e descanso, para que o bichinho saiba que existe tempo para tudo. Isso faz com que ele fique menos ansioso e agitado, já que sabe que haverá uma hora para cada coisa. 

4. Leve o filhote com frequência à sua área de eliminação

Ensinar o filhote a fazer xixi e cocô no lugar certo é uma das maiores angústias dos donos de pet, o que é perfeitamente justificado: ninguém quer um tapete molhado de xixi no centro da sala ou pisar em um cocô no meio do corredor, não é mesmo?

Para diminuir a ocorrência dessas situações, é importante definir muito bem qual é o lugar de eliminação e apresentá-lo regularmente ao cão. Filhotes fazem mais xixi do que os cachorros adultos, portanto o ideal é que você leve o bichinho com frequência a essa área para que ele crie familiaridade com ela e aprenda que deve fazer suas necessidades ali.

Evite brigar com ele quando ele errar o local. Experimente fazer justamente o contrário, reforçando positivamente quando ele acertar. Esse reforço pode vir por meio de carinhos, elogios, petiscos ou até mesmo passeios, o importante é fazê-lo entender que ele fez uma coisa bacana e recebeu uma recompensa — o que o estimulará a acertar de novo.

5. Socialize o seu filhote

Para que o seu cãozinho lide bem com outras pessoas e com outros bichinhos, é essencial que ele comece a fazer essa socialização o mais cedo possível. Antes de começar a levá-lo para passear, é fundamental que ele tenha tomado todas as primeiras vacinas e esteja seguro. Mas antes disso, você pode apresentá-lo para as pessoas mais próximas. 

Quando bem socializado desde pequeno, o animal tem muito menos chances de estranhar novas pessoas e se tornar agressivo com elas.

6. Ensine-o a brincar

Até a brincadeira precisa de algumas regras para ser divertida, não é mesmo? Levar mordidas de um filhotinho pode ser inofensivo e até divertido, mas nunca se esqueça de que esse animal vai crescer e, muito provavelmente, essas mordidas ficarão mais fortes e doloridas.

Dependendo da raça e do porte do animal, elas podem até mesmo causar ferimentos sérios. Controle as brincadeiras e ensine, por meio do reforço positivo, quais comportamentos são aceitáveis ou não.

7. Jamais recorra à violência

A violência nunca é uma opção. É responsabilidade do dono cuidar bem do animal e garantir sua integridade física. Além disso, o estado de ânimo do cão refletirá, obviamente, em seus comportamentos. Se você quer um bichinho tranquilo e amoroso, é dessa forma que você deve tratá-lo.

Foque, ao longo do adestramento, em utilizar as técnicas de reforço positivo para mostrar que suas boas atitudes trazem boas consequências — e não o contrário. Evite gritar com seu bichinho e jamais agrida-o fisicamente!

Aqui no blog da Adimax produzimos conteúdo de qualidade sobre nutrição e cuidados com os animais. Se você acabou de receber um cãozinho em casa, aproveite para ler também o nosso artigo sobre 5 cuidados importantes que você deve ter com filhotes de cachorro!

Compartilhe

Notícias relacionadas