Instituto Magnus atinge marca de 50 cães-guias doados 

Objetivo é que até o fim do ano, mais 15 cães sejam entregues para pessoas com deficiência visual


Na próxima quarta-feira (27) é comemorado o Dia Internacional do Cão-Guia. Data que para o Instituto Magnus, maior centro de treinamento de cães-guias da América Latina, tem muitos motivos para comemoração. Um deles é o número de doações feitas: desde o início dos trabalhos, até agora, já foram 50 cães entregues, sendo 47 para pessoas com deficiência visual e 3 para pessoas com deficiência física. 

O gerente geral do instituto, localizado em Salto de Pirapora, interior de São Paulo, Thiago Pereira, reforça que a meta em 2022 é chegar a 65 cães-guias doados. “Este número representa um marco para o instituto e para a América Latina. Sabemos que com o trabalho de treinamento realizado desde 2018, promovemos a mudança e melhoria na qualidade de vida de cinquenta pessoas com deficiência. Por isso, pretendemos aumentar as doações e entregar, até o fim deste ano, mais quinze cães de assistência”.

Camila foi uma das beneficiadas. Ela perdeu a visão por conta de um câncer nos olhos aos dois anos de idade. Precisou se adaptar a nova realidade desde criança, o que foi possível com a ajuda e apoio da família. Hoje, aos 28 anos, leva uma vida independente e um dos motivos se chama Helen. A cadela, doada pelo instituto no ano passado, trouxe mudanças na rotina da auxiliar jurídica. “É uma parceria que é feita com amor mesmo, muita confiança, que é construída toda vez que ela me desvia de um obstáculo, que para porque tem um degrau ou que ela encontra uma saída ou entrada que eu procuro. Só quem tem um cão-guia consegue entender. Porque a gente chega em lugares que a bengala não faz com que a gente chegue sozinho”, ressaltou. 

Já a atendente Jade, precisou mudar sua vida para conquistar o Wally. “Criei uma rotina bem diferente da que eu tinha para conquistar o cão-guia. Passei a trabalhar, estudar. O Wally trouxe para mim mobilidade, independência, segurança. Além disso é minha companhia, minha terapia. Não vivo mais sem ele”, completou. 

Compartilhe

Notícias relacionadas