Instituto Magnus é inspiração para nova camisa do futsal

Com detalhes em braile, o uniforme destaca o trabalho realizado desde 2018. O objetivo é alcançar a marca de 65 cães doados até o final do ano.

Desafio e inovação. Em 2022, o Instituto Magnus, o maior centro de formação de cães-guias da América Latina, tem o objetivo de fortalecer ainda mais o trabalho que vem realizando há quatro anos. Referência na formação e treinamento de cães de assistência, foi inspiração para a criação do novo uniforme do Magnus Futsal, tricampeão mundial, para essa temporada. A camisa traz detalhes em braile, algo inédito no esporte nacional. O objetivo é dar destaque ao sistema de escrita tátil, voltado para pessoas com deficiência visual.

Além disso, o uniforme tem o número 65 estampado. Uma referência a meta do Instituto Magnus para este ano: alcançar a marca de 65 cães treinados e entregues, além de atingir 65 mil seguidores no Instagram. Desde 2018 já foram doados 46 cães para todo o Brasil. Para que isso seja possível, é necessário um trabalho cheio de desafios, passando por várias etapas antes de ser concluído. Levar para a quadra uma camisa com tanto significado é motivo de orgulho para o Instituto Magnus.

“Estampar o objetivo do Instituto no uniforme de um time de futsal reconhecido mundialmente é uma forma de reforçarmos nosso compromisso com a sociedade. Temos conhecimento da grande demanda de pessoas com deficiência visual aguardando uma oportunidade de se tornarem mais independentes. Aumentar o número de cães aptos e treinados para a convivência, é garantir que essa fila diminua”, destacou o gerente geral do Instituto Magnus, Thiago Pereira.          

No Brasil, existem menos de 150 cães-guias em atividade e cerca de 700 pessoas inscritas à espera por um cão. Números que motivam o instituto a trabalhar cada vez mais para implantar e desenvolver este serviço na comunidade, algo feito em conjunto com especialistas e voluntários que buscam uma sociedade mais justa e inclusiva.

“O trabalho sério do Instituto reflete diretamente em nossas vidas. As pessoas com deficiência visual ainda enfrentam muitas dificuldades principalmente na questão da acessibilidade. Os cães-guia nos trazem independência, são os nossos olhos diante de tantos obstáculos que enfrentamos no dia a dia”, afirmou a usuária de cão-guia e Analista de Relacionamento do Instituto Magnus, Marcela Pandolfi.   

O uniforme foi desenvolvido pela Penalty, nova fornecedora do material esportivo do Magnus Futsal para a temporada 2022.

“Além de levar o futsal a sério e procurar sempre se fortalecer dentro da modalidade, a Penalty acredita que tem o dever de contribuir com a transformação social. Por isso, a nova camisa do Magnus entrega muito mais do que tecnologia e performance. Criamos uma peça única, que tem a missão de ser uma verdadeira porta-voz de união, atitude e inclusão. A camisa conta com uma padronagem em marca d’água na faixa principal do peito, que promove a ação do Instituto Magnus que visa atingir a meta de 65 cães-guia entregues até o fim de 2022. Há, também, um selo no centro da faixa, com o logo da entidade. Além disso, a parte de trás na camisa conta com uma inscrição alusiva ao braile, aplicada em silk em relevo ― ação inédita no futsal brasileiro ―, com os dizeres: Magnus Futsal desde 2014”, comenta Bernardo Caixeta, gerente de marketing e relações esportivas, da Penalty. 

Para quem vai vestir a camisa nessa temporada, o peso é ainda maior.

“Estou muito feliz por estar defendendo esta causa. Não é de hoje que o Magnus Futsal caminha ao lado do Instituto, porém desta vez estaremos carregando no peito essa questão tão importante. A gente espera contribuir espalhando a mensagem, trazendo mais famílias socializadoras e divulgando este projeto grandioso. Quem comprar nossa camisa vai estar defendendo uma causa e isso é sensacional”, afirmou o capitão do time, Rodrigo Hardy.

Sobre o Instituto Magnus

Localizada em Salto de Pirapora, interior de São Paulo, a sede conta com uma estrutura completa. São 15 mil metros quadrados, com maternidade, canil, clínica veterinária, centro cirúrgico, área de soltura, lazer e treinamento, prédio administrativo e hotel para receber futuros usuários de cães-guia, e uma equipe multidisciplinar, distribuída nas áreas de saúde e bem-estar, equipe técnica, administrativo, relacionamento e operacionais, totalizando 26 colaboradores. Antes de chegarem ao seu destino, os cães são acolhidos por famílias voluntárias onde ficam pelo período de um ano. O papel dos socializadores é expor os animais às mais diversas situações do cotidiano, para promover seu desenvolvimento e acostumá-los à rotina. Além, é claro, de dar a eles tempo e amor. Depois desse período, os animais voltam para o instituto e ficam cerca de cinco meses aprendendo a seguir comandos e desviar de obstáculos. Após formados, poderão ser doados para dar início a missão: transformar a vida de pessoas com deficiência visual.

Compartilhe

Notícias relacionadas