Vacinação de Cães: Conheça o Protocolo

Vacinação de Cães — Conheça o Protocolo

Quem aumenta a família com cachorro, seja filhote ou adulto, precisa estar ciente da importância de seguir o protocolo de vacinação de cães. Garantir a imunização do pet é fundamental não só para a saúde do bichinho como, também, para proteger os tutores de algumas doenças que podem ser transmitidas por ele.

Mas qual é, afinal, o protocolo vacinal de cães? Quais são as vacinas obrigatórias e quando elas devem ser aplicadas? Essas respostas você confere durante a leitura do artigo!

Vacinação de cães: imunizações obrigatórias

Assim como no caso dos humanos, para os cachorros também existem algumas vacinas que são essenciais e outras que são recomendadas apenas em alguns casos. De acordo com a tabela de vacina para cães, estas são as imunizações obrigatórias:

Vacina polivalente

A vacina polivalente é a primeira proteção que um cãozinho recebe. Seu nome está relacionado ao fato dela prevenir diversas doenças como cinomose, parvovirose, hepatite, coronavirose, adenovirose, parainfluenza e leptospirose.

O imunizante é disponibilizado em duas versões, a V8 e V10, sendo a principal diferença entre elas é que a V10 protege contra duas cepas a mais de leptospirose. As cepas contempladas pela proteção da V8 são as mais comuns no Brasil, enquanto as outras são encontradas no exterior.

Qualquer um dos imunizantes que for escolhido é aplicado em três doses iniciais e, depois, precisa ser reforçado com uma dose anual, sendo que a primeira dose já pode ser aplicada entre os 45 e 60 dias de vida do cãozinho, e conforme orientação médico-veterinária.

Vacina antirrábica

A raiva é uma das doenças de animais mais conhecidas, e sua fama vem, justamente, do fato dela poder ser transmitida do bicho para os humanos. A vacina antirrábica, portanto, é essencial tanto para proteger a saúde do pet quanto a de todas as pessoas que têm contato com ele.

A boa notícia é que graças às campanhas de vacinação os casos de raiva têm diminuído consideravelmente, e para que possamos manter assim, é importante não deixar seu bichinho desprotegido, portanto, não o deixe sem esse cuidado!

A vacina antirrábica deve ser aplicada quando o cachorrinho completa 3 meses de vida e reforçada anualmente para garantir a proteção.

Vacinas facultativas

Apesar de apenas as duas imunizações anteriores serem consideradas obrigatórias no protocolo de vacinação de cães, existem algumas outras que são recomendadas para oferecer proteção contra outras doenças: a giárdia e a tosse dos cães.

O médico-veterinário irá avaliar caso a caso para entender a necessidade dessas vacinas.

Vacina contra giardíase

A giardíase é uma doença parasitária que afeta o intestino do cão podendo causar diarreia e perda de peso. A vacina é aplicada em duas doses e seu reforço deve ser anual, conforme orientação médico-veterinária.

Vacina contra gripe canina

Também conhecida como gripe dos canis, a doença que tem o nome oficial
traqueobronquite infecciosa traz sintomas muito parecidos aos da gripe humana: congestão e secreção nasal e tosse.

A vacina que protege contra ela deve ser aplicada em duas doses e seu reforço também deve ser administrado anualmente, seguindo sempre a orientação do médico-veterinário.

Seguir à risca o protocolo vacinal e levar o seu animal a consultas periódicas de acompanhamento com o médico-veterinário é responsabilidade dos tutores e fundamental para zelar pela saúde do pet e dos outros membros da família.

Se você acabou de levar um cachorrinho para casa, aproveite para conferir também o nosso artigo sobre os cuidados que você precisa ter com seu filhote de quatro patas.

Compartilhe

Notícias relacionadas